Fernanda Yamamoto Inverno 2016

Para a fragilidade força, para a aridez fertilidade, para a rudeza delicadeza. As antíteses costuram a coleção do Inverno 2016 da estilista paulistana Fernanda Yamamoto. No universo de oposições a criação se sobrepõe à estação, padrões e tendências. É no calor do território de chuvas esparsas, clima seco e inspiração enraizada na caatinga do Cariri paraibano - onde a renda renascença tem valor patrimonial - que a designer cultiva há um ano o que considera seu trabalho mais verdadeiro. Brota regado pela maturidade profissional e tem abrigo nas técnicas artesanais, sua assinatura inconfundível, com a colaboração de mulheres que se rendem de corpo e alma à memória do ofício da agulha, fio e lacê.

A renda renascença é protagonista. Traz no traçado concêntrico referências culturais, emoções da arte do fazer, códigos que atam desafios, desalinhos e persistência de reinventar o que a tradição consagrou como bem maior da região. Na sua força de expressão, a renda é a língua da coleção e a fala mais sutil das mulheres que à ela dão vida sobre almofadas aninhadas no colo. Um sussurro de histórias cotidianas - entre os afazeres domésticos e a lavoura - contidas na brancura dos novelos desfeitos para dar forma aos desenhos de vestidos, calças e casacos idealizados por Fernanda.

(Agência Fotosite)
a renda é a língua da coleção e a fala mais sutil das mulheres que à ela dão vida sobre almofadas aninhadas no colo