Vida com Estilo

/O modo de viver à sua moda

Balanço Bodocongó: o designer Sérgio Matos leva a identidade regional ao Museu da Casa Brasileira

A criação do mato-grossense radicado na Paraíba passa a compor o acervo permanente do MCB
| Por: Raquel Medeiros

Balanço Bodocongó: colher de pau é matéria-prima 

 

Com quantas colheres se faz uma cadeira? A pergunta que soa desconexa tem resposta certa quando a peça de mobiliário é fruto da inventividade do designer de produto Sérgio Matos. Colheres de pau - que na culinária nordestina mexem a fervura da canjica, do arroz-doce e baião de dois - são a matéria-prima para a Cadeira Bodocongó. O desenho circular - que alinha 40 delas - é uma exaltação à identidade regional e ganha versão em forma de balanço projetado especialmente para exposição e arquivo permanente do Museu da Casa Brasileira (MCB), em São Paulo. No dia 6 de outubro, às 10h, o mato-grossense dá sequência ao ciclo de instalações "Balanços" no jardim do MCB e conversa com o público sobre o seu processo criativo.

O exotismo da criação fala com exatidão sobre o criador, suas relações afetivas e a influência da cultura nordestina. A cadeira assenta o olhar do designer sobre o universo das feiras livres e a paixão que cultiva por elas. Especialmente, a de Campina Grande, cidade paraibana onde mora e mantém o estúdio. O nome? Uma homenagem ao bairro campinense que abriga a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), instituição na qual obteve, em 2005, a formação em Designer de Produto. "Defino a Cadeira Bodocongó como uma provocação. É um trabalho com um material aparentemente banal sendo utilizado em outro contexto. Material vindo da feira pública que assume a condição de peça exclusiva", argumenta Sérgio que em 2012 conquistou com o Pufe Carambola o mais alto prêmio do design internacional, o  iF Product Design Award, na Alemanha.

Carregada de simbologias identitárias, a série de colheres que dá estrutura à cadeira e balanço é atada a uma base de aço. O metal é recoberto por cordas que consolidam uma característica do trabalho de Sérgio. "O mesmo revestimento que protege o metal amarra as colheres. Fizemos furos em cada uma delas para passar a amarração e ficou parecendo um bordado em ponto cruz", descreve o designer. O exemplar do Balanço Bodocongó que fica em exposição passa ao arquivo do MCB e um outro será destinado ao espaço BOOMSPDESIGN, que também participa da realização da instalação. Para alimentar o desejo do público e colecionadores, oito peças serão comercializadas em edição limitada.

Cada etapa da mostra "Balanços" tem duração de um mês. Sérgio Matos é o segundo de uma tríade de designers convidados pelo MCB. O projeto aberto em agosto pelo britânico Tom Price será encerrado pelo brasileiro Zanini de Zanine, em novembro próximo. "Estou muito feliz. É uma honra fazer parte de uma exposição no Museu da Casa Brasileira e constituir seu acervo ao lado de profissionais tão representativos para o design nacional e internacional", conta Sérgio que recebeu o convite como reconhecimento e estímulo à carreira. No museu que se dedica às questões da cultura material da casa brasileira as colheres de pau do Balanço Bodocongó unem-se ao fumegante caldeirão das tradições e memórias ancestrais.   

 

Sérgio Matos: a identidade regional inspira suas criações

 

Serviço:

Instalação Balanços Bodocongó, de Sérgio Matos

Onde: Museu da Casa Brasileira - São Paulo

Quando: de 5 de outubro a 3 de novembro

Conversa com o designer: 6 de outubro, às 10h (entrada gratuita)

Para saber mais sobre Sérgio Matos

Estúdio Sérgio J Matos