Vida com Estilo

/O modo de viver à sua moda

O luxo de vestir a moda dos direitos humanos

A campanha "Roupa Comprometida", da Anistia Internacional, faz da moda canal de denúncia
| Por: Raquel Medeiros

A camiseta estampada com a "Carta 08" redigida pelo Prêmio Nobel da Paz Liu Xiaobo custa 15,95 Euros. Na China, onde ele cumpre pena acusado de incitar a subversão do poder do Estado com o conteúdo publicado em 2008, usar a t-shirt pode ser a assinatura de uma sentença de 11 anos de prisão. A echarpe com as sete cores do arco-íris - e da bandeira gay - é comercializada ao preço de 23,95 Euros. Na Rússia, exibi-la no pescoço significa uma multa de 12 mil Euros e na Uganda o acessório é sinônimo de afronta e cobra a vida de quem o carrega. As peças de vestuário são produtos da campanha "Roupa Comprometida 2013" da Anistia Internacional e estão à venda na loja virtual da organização para angariar fundos em defesa dos direitos humanos suprimidos no mundo inteiro.

Lançada na Espanha, em abril deste ano, a campanha ganha fôlego para chegar a outros países. A ideia é tornar pública a ofensa aos direitos fundamentais e disseminar a mensagem através da moda. A investida da Anistia Internacional referenda uma mudança no método de comunicação. Descarta telefonemas, cartas e a abordagem direta na rua para provocar e despertar a consciência de novos aliados. A coleção com dez peças de roupas foi desenhada pelo espanhol Carlos Gala e cada uma trata de um tipo de violação cometida em determinado país.

Nos produtos têxteis a fibra sensível é o componente ativo da campanha "Roupa Comprometida". Por trás de cada peça há uma história real de violação. Mulheres chicoteadas no Sudão por vestirem calças compridas; pessoas sentenciadas na Turquia por defenderem o território curdo e seus símbolos; meninas impedidas de ir à escola no Paquistão; cidadãos punidos na Rússia, Uganda e República dos Camarões por manifestarem orientação homossexual; condenações na China e no Iran aos que defendem a liberdade de expressão (como o escritor chinês Liu Xiaobo e o blogueiro iraniano Hossein Maleki) e a lista do corredor da morte que no final de 2012 somava 3.170 condenados nos Estados Unidos.   

Tortura, opressão, negação, dor, maus tratos e pena de morte foram transformados em camisetas, calças, saias, shorts, macacões, echarpes e bolsas com uma costura de comprometimento. Usadas em certos países as peças são motivo de perseguição, prisão e assassinatos. Em outros, veste a esperança de abolir as violações e injustiças.

O preço da "Roupa Comprometida"

 

Serviço:

Anistia Internacional - Roupa Comprometida - Loja Virtual