Vida com Estilo

/O modo de viver à sua moda

As raízes e tradições de Paraty estão à mostra

A exposição "Raízes de Paraty" abre a programação da segunda edição do Paraty Ecofashion
| Por: Raquel Medeiros

O mar por testemunha e o entorno da arquitetura secular como abrigo. Por si só a cidade colonial de Paraty, no Rio de Janeiro, transpira sustentabilidade no seu equilíbrio com a paisagem natural e a preservação da história que ancora riquezas sociais e culturais. Essa harmonia forra a organização da segunda edição do Paraty Ecofashion, promovido pelo Instituto Colibri entre os dias 14 e 16 de setembro. A abertura do evento acontece em clima de celebração com o ato inaugural da mostra "Raízes de Paraty", às 20h30, na Casa Sesc, Centro Histórico. Trabalhos artesanais das comunidades quilombolas, indígenas e caiçaras integram a exposição que revela traços identitários marcantes. A noite é coroada com apresentações de ciranda e do músico paratiense, Luis Perequê.

A exposição com curadoria e montagem dos artistas plásticos da terra, Lúcio Cruz e Patrícia Gibrail, reserva emoção. Há poesia e saberes incrustrados em cada trabalho. O que aos olhos é singular se agiganta em carga simbólica derivada dos ensinamentos que atravessam gerações. Os bordados das mulheres da Praia do Sono, os bichos de madeira entalhados pelos índios Guarani e as peças elaboradas com sisal pelos moradores de Trindade são exemplos dos saberes inerentes à origem dos primeiros habitantes do lugar. Traduz ainda o resultado das capacitações ofertadas pelo Instituto Colibri às comunidades, concretizando os objetivos de inclusão social, qualificação e geração de renda.   

Para o diretor da Casa Sesc de Paraty, Marcos Henrique Rego, sediar a mostra Raízes é uma menção honrosa. "Primeira e feliz parceria desde sua recente instalação na cidade, a Casa Sesc se orgulha de estar em sintonia com o projeto do Instituto Colibri ao abrir suas portas para essa exposição; especialmente, pela coincidência de intenções. A relação com as comunidades tradicionais e o conceito do projeto ganharam o interesse do Sesc", argumenta. No endereço privilegiado da cidade - em frente à Igreja de Santa Rita - as bandeirolas enfeitam o espaço, tremulam ao vento e sinalizam que as Raízes de Paraty estão expostas. Um convite às cores e tipologias que têm a alma e o coração de sua gente.