Tá na Rua

/A moda desfila na passarela urbana

O poá deita e rola na cena da moda

Alinhadas ou à revelia as bolinhas que estamparam os anos 50 salpicam roupas e acessórios
| Por: Da Redação

O poá deita e rola, chova ou faça sol. A estampa é um clássico da moda que não se prende à rigidez das estações. Alegre e sofisticada ela guarda o trunfo de ficar bem na alternância de cores que evidenciam as bolinhas. Alinhado ou à revelia, o padrão gráfico de efeito ótico mantém intocado seu posto entre as tendências e nas ruas salpica roupas, sapatos e acessórios. A inspiração colhida nos anos 50 - como identidade das pin-ups - está relacionada ao romantismo e feminilidade e surge repaginada em aplicações de tachas e pérolas que criam volumes.

As bolinhas carregam referências históricas. Também chamadas de polka dots (em inglês), algumas pesquisas atribuem a origem da estampa aos imigrantes do leste europeu que desembarcaram na América trazendo nas malas e baús o som da polka. A denominação do ritmo teria sido associada às pintinhas que marcavam os figurinos tradicionais, cunhando o termo polka dots.

Em 1960, sem o compasso binário do estilo musical que veio da Europa, a canção "Itsy bitsy teenie wennie yelow polka dot bikini", do cantor americano Brian Hyland, transformou-se em clássico do pop e notabilizou a estampa de bolinhas. Cantada em alemão, francês e italiano, a versão chegou ao Brasil como "Biquíni de bolinha amarelinha". Na voz de Cely Campelo foi hit nas paradas musicais nacionais em 1976, quando integrou a trilha sonora da novela global Estúpido Cupido (de Mario Prata). 

A atriz americana Marilyn Monroe incorporou a pin up dos anos 50