Tá na Rua

/A moda desfila na passarela urbana

A irreverência e as cores da África

O colorido vibrante personaliza a moda nas ruas das principais cidades africanas
| Por: Da Redação

Outra referência da África desponta sob o estereótipo selvagem que habita as savanas douradas. A África urbana, pulsante, com suas tribos do asfalto que transitam freneticamente de um extremo a outro entre a arquitetura imponente e os subúrbios de construções singulares em grandes cidades como Joanesburgo, Kinshasa, Nairóbi e Lagos. Ambientes cosmopolitas e reveladores de identidades particulares que seduzem o olhar. Sobretudo, através da vestimenta. Em todas as partes saltam raízes ancestrais externadas em cores, estampas e elementos culturais que nunca se esgotam como fonte de inspiração para o mundo.

A urbanidade africana é território da diversidade. Espaço também de um novo mercado de moda que se abre às grandes marcas. Não por acaso a próxima edição do Hot Luxury, organizado pelo International Herald Tribune  - fórum para a discussão e troca de ideias sobre a indústria da moda e do luxo - converte a África como foco de produção e consumo. Nesta plataforma que integra nomes do mais alto escalão do segmento a ideia é apurar a percepção sobre a força criativa e transformadora do vasto continente, além de consolidar oportunidades reais de negócios impulsionados pelo crescente poder aquisitivo da população.  

Nas ruas da África do Sul, principal porta de entrada para marcas internacionais, um movimento de estilo imprime o perfil de grupos predominantemente jovens. Os adeptos da moda mais ousada e ocidental - majoritariamente homens -  privilegiam o exotismo na atitude de unir cores, estampas, acessórios e sobreposições. Exibem autenticidade com a clara manifestação de que a moda é isenta de fórmulas. Nã há excessos ou subtrações. Apenas liberdade.