Tá na Rua

/A moda desfila na passarela urbana

A amplidão da pantalona anda solta...

Clássica, atemporal e confortável a peça invade o cenário urbano
| Por: Da Redação

Amplidão e elegância fazem uma parceria bem ajustada através da pantalona. Do alto da  cintura marcada, a peça se encaixa com perfeição na rotina do trabalho e ainda encara compromissos nos dias ensolarados e noites de festa. Clássica, ela marcou o inverno com o revival da inspiração hippie dos anos 70 e parece não ter pressa em sair de cena. Desfila ultramoderna em looks urbanos incorporando o jeans e muito sofisticada nos tecidos fluidos que emprestam movimentos suaves e delicados.

Repaginada, acata regatas e camisas sequinhas que equilibram volumes. O comprimento das barras é bem generoso e compõe looks com saltos nas alturas e plataformas estratégicas criando um visual longilíneo. Apesar de não ser unamidade no armário de muitas mulheres, a pantalona vem desmistificando a ideia que apenas corpos altos e esbeltos vestem a modelagem sem comprar brigar com ela. Os acertos ficam por conta das cores, texturas e complementos.

O certo é que esta peça já integrada à alfaiataria feminina é atemporal. A denominação derivada do francês pantalon (calça) foi aplicada ainda na década de 40, quando as mulheres assumiram durante a segunda guerra os postos de trabalho deixados em aberto pelos homens. Nas fábricas, elas trocaram saias e vestidos por uma calça de modelagem mais larga que não evidenciasse as curvas corporais. Trinta anos depois, a pantalona  subiria à condição de ícone do movimento hippie nos badalados e intensos anos 70. As pernas amplas eram do tamanho da vontade de mudar o mundo!