Pano pra Manga

/Entrevista que dá o que falar

“A inspiração vem de tudo que provoca alegria e surpresa”, revela a designer de joias Yael Sonia”

A designer americana com "alma brasileira" faz das joias objetos que transmitem identidade e emoção
| Por: Raquel Medeiros

A surpresa diante das joias resulta da fusão do movimento, som e interatividade. Os ingredientes da fórmula inusitada estabelecem a ligação que gera a cumplicidade do consumidor com as peças cujo design faz aflorar memórias e sentimentos. O universo lúdico que empresta as formas e os rodopios dos brinquedos infantis pauta a essência vanguardista da alta joalheria assinada por Yael Sonia. As joias cinéticas da coleção "Perpetual Motion" marcam o trabalho inicial da designer filha de pais franceses, nascida em Boston e criada entre os Estados Unidos e o Brasil. A ousadia da sua criação prioriza o deslocamento das esferas de pedras preciosas ou pérolas sobre o ouro. Dos colares, brincos, braceletes e anéis ecoam melodias de miniaturas que recordam um pião ou uma roda-gigante em atividade.

As joias aliam a simplicidade das linhas de inspiração Art Déco ao requinte da matéria-prima. Pedras como safiras, rubis, diamantes e esmeraldas extraídos em Minas Gerais somam-se ao ouro e enaltecem o desenho atemporal elaborado artesanalmente no ateliê/showroom localizado em São Paulo. O reconhecimento do público e os prêmios internacionais referenciam o valor das peças comercializadas também em lojas do Rio de Janeiro, Nova Iorque, Paris e Honk Kong. Na engenhosidade de cada projeto está expressa a aparência minimalista, moderna e urbana para joias que refletem individualidade.   

Quando celebra o marco de 15 anos como designer de joias - desde sua formação na Parsons School of Design, em Nova Iorque - Yael Sonia lança novas peças como elos sequenciais das principais coleções já apresentadas. A ideia conecta uma evolução orgânica e colecionável de suas criações que ora podem estar nos dedos como anéis, ora como pingentes agitados em colares pelo ritmo de quem as usa. O momento também repagina a loja nova-iorquina que deixa a Madison Avenue para figurar no Soho, em Manhattan, com um loft que vai aglutinar a função de ateliê, escritório e showroom.    

O sucesso crescente da joalheria que conquista o mundo pela emoção, as mudanças que envolvem o posicionamento da marca no mercado e o lançamento da coleção Rock DNA no Brasil, no mês de agosto, estão na entrevista exclusiva de Yael ao site Nas Entrelinhas.

 

O universo lúdico continua marcando seu processo criativo?  

Yael Sonia - O universo lúdico e as emoções sempre foram fatores importantes no meu processo criativo.

A inspiração é abastecida pelas memórias da infância?

Yael Sonia - A inspiração não vem só das memórias de infância; mas, de tudo que provoca sentimentos de alegria e surpresa, do que incentiva a interatividade, curiosidade ou contém ilusão ótica.

A pureza das formas, o movimento cinético e o som que dele emana são marcas particulares das suas joias. A engenhosidade é o que surpreende e seduz o consumidor?

Yael Sonia-  Muitas vezes o que seduz no início do encontro com a joia é a sua forma, simplicidade e pureza. O movimento, som e interatividade são as surpresas que firmam a ligação e cumplicidade com a joia. 

Qual o perfil do cliente que busca joias que remetem a sentimentos e memórias afetivas?

Yael Sonia - Na história, a joia é quase sempre ligada a um evento marcante na vida de quem a recebe, como um anel de noivado, presente de formatura, aniversario... O meu objetivo é criar estes sentimentos afetivos através da joia. Uma ligação pessoal sem a necessidade de uma ocasião específica. 

As suas joias convidam à interatividade e permitem combinações distintas. Esse falta de rigor marca a individualidade de quem usa suas peças?

Yael Sonia - É importante que a joia tenha um lugar distinto na vida da pessoa que a usa. Por exemplo: as joias cinéticas movem-se de forma e ritmo únicos no corpo de cada um. Com as joias da coleção Rock, por exemplo, a ideia de poder usar várias combinações de cor; usar como anéis um dia e como pingente no outro. São peças que vão além da joia tradicional virando uma expressão pessoal da individualidade. 

O cliente pode criar com você joias únicas?

Yael Sonia - Acontece muito de eu fazer joias únicas e/ou personalizadas. Às vezes, incorporar uma pedra da família numa criação minha, criar alianças de casamento únicas, etc.

A peculiaridade de sua joalheria arrebatou em 2002 o prêmio Design International do Tahitian Pearl Trophy, com o colar Spinning Wheel. Foi uma conquista decisiva para sua carreira?

Yael Sonia - Ganhar prêmios internacionais sempre ajuda na carreira de um designer ou artista. Ter seu trabalho reconhecido por altos profissionais da área é um grande incentivo. Com este tipo de atenção é sempre bom trabalhar para solidificar a imagem da marca.

O estado de Minas Gerais é a fonte dos metais e pedras preciosas que cintilam em anéis, braceletes, brincos e colares?

Yael Sonia - Sim, Minas Gerais é a fonte principal das pedras das minhas coleções. 

A Turmalina Paraíba também está presente na seleção das gemas?

Yael Sonia - Raramente uso a Turmalina Paraíba. Só mesmo como um pequeno detalhe de cor, pelo design das minhas peças. As pedras geralmente são grandes ou com lapidações exclusivas. Sendo a Turmalina Paraíba tão rara, seria quase impossível.

Além da loja na Madison Avenue, você tem endereço comercial em Paris e São Paulo. Há intenção de multiplicar lojas em outros pontos importantes do mundo?

Yael Sonia - Em Nova Iorque estou de mudança da loja na Madison Avenue para um loft bem personalizado no Soho que servirá de showroom, ateliê e escritório. Tudo com hora marcada. As minhas clientes preferem o atendimento personalizado e "private".  Por enquanto sigo trabalhando com lojas multimarcas para distribuição das minhas joias. Preciso me concentrar na criação.

O que esperar para a próxima coleção?  

Yael Sonia - A nova coleção que será lançada no Brasil em agosto será a Rock DNA. Peças em ouro com rubi, diamante e safira. Peças menores a serem usados juntas, todo dia.

Bracelete da coleção Perpetual Motion