Modalidades

/Modalidades

Laura Ashley: a heroína romântica

| Por: Redação

Nos anos de 1960 e 1970 a moda cedeu às criações de referências vitorianas - inspiradas nos romances do século 19 - como âncoras do otimismo que se seguiu ao pós-guerra. A designer inglesa Laura Ashley é quem melhor representa este período de escapismo, de encontro com a natureza. Os florais estampados em puro algodão deram vida aos vestidos campestres resgatando a inspiração e conforto de um tempo distante da ebulição desenvolvimentista. Agora, em comemoração ao 60º aniversário de fundação da marca Laura Ashley os vestidos longos que sintetizam o romantismo da designer dão corpo à uma primeira retrospectiva da casa com o título "Laura Ashley: a heroína romântica".

A seleção de 70 peças de estilo country romântico está no Museu da Moda de Bath, localizado a 200 quilômetros a oeste de Londres. Até o dia 26 de agosto os visitantes poderão conferir os vestidos que transportam às sagas das heroínas inglesas que habitam obras literárias como Tess of the d'Urbevilles, de Thomas Hardy, publicado pela primeira vez em 1881. As mangas estruturadas e volumosas e as saias em camadas de tecidos franzidos narram uma certa inocência pastoril. Remontam às típicas campanhas de marketing da época onde modelos de bochechas exageradamente rosadas colhiam flores nos campos.