Moda

/Porque é tendência estar bem informado

“Anos 50”: o auge da moda francesa em exibição

| Por: Raquel Medeiros

Os ombros expõem formas arredondadas, as saias de cintura marcada alargam os quadris e os seios projetam-se altos para definir um desenho cônico na silhueta feminina. Os volumes e proporções revolucionam os códigos de moda e feminilidade. São os pontos focais da primeira coleção do estilista Christian Dior batizada de "New Look", ainda que estruturado na era dos corseletes. O lançamento em 7 de fevereiro de 1947 antecipa o estilo considerado escandaloso, extravagante e delicadamente feminino para a década seguinte. Recorte temporal consagrado como a época de ouro da alta-costura francesa que o Palais Galliera - Musée de la Mode de la Ville de Paris exibe na exposição "Os Anos 50", recentemente aberta à visitação que dura até 2 de novembro de 2014.

O ponto de partida da mostra evidencia a retomada da moda parisiense abalada desde a crise da economia global em 1929 e a difícil travessia da Segunda Guerra. Junto a Dior acrescenta nomes míticos - com estilos dissonantes - como Cristóbal Balenciaga, Jacques Fath, Elsa Schiaparelli, Pierre Balmain, Hubert de Givenchy, Pierre Cardin e Coco Chanel. O New Look que surge como a antítese da moda funcional adotada no cenário do cessar fogo valoriza a rigidez dos espartilhos, as saias corola (em alusão às camadas de tecidos que se abriam em formato de pétalas), a cintura de vespa, os vestidos de noite ricos em bordados. Em controvérsia, todo o luxo e resgate das antigas técnicas têxteis que sublinham um recuo na emancipação feminina estabelece, em contraposição, a abertura do prêt-à-porter dentro da atmosfera de otimismo e prosperidade.

Como um verdadeiro laboratório de moda em ebulição, os anos 50 retratados na exposição são projetados na seleção de 100 modelos e acessórios pinçados das coleções do Palais Galliera. Entre elas, peças de marcas integrantes do auge da alta-costura e engavetadas no esquecimento como Madeleine Vramant e Lola Prusac. O período entre 1947 e 1957 reflete a arquitetura da moda em forma de ampulheta, a ascensão de Christian Dior e seu desaparecimento (atrelado à própria morte), o contraste de outros estilos e estilistas para uma moda diversa. O vestido saco de Givenchy e os camisões de Balenciaga contam a história de outras costuras para um tempo que fez o mundo sonhar com a vestimenta.    

Serviço:

Exposição "Os Anos 50"

Onde: Palais Galliera, em Paris (França)

Quando: de 12 de julho a 2 de novembro de 2014

Saiba Mais: Palais Galliera