Moda

/Porque é tendência estar bem informado

A estética das ruas subverte a ordem

O DNA das ruas está presente nas coleções das italianas Prada e Versace para o Verão 2014
| Por: Redação

A estética das ruas sobe à passarela para constituir o desfile inverso na dinâmica que nutre a indústria da moda. As exibições das grifes italianas Prada e Versace na semana de moda de Milão - temporada Primavera/Verão 2014 - destacam um extrato urbano da cultura de massa expressa nas roupas. As simbologias dos prazeres mundanos das tribos do asfalto coordenam um fluxo mais fresco sobre o conceito de tendências. O sistema horizontal traz a efervescência das predileções para comunicar individualidade e identidade que desafiam a uniformização coletiva. A música, a dança, os festivais e o grafite são gatilhos da cena pós-moderna que disparam a legitimidade no vestir.

A linguagem codificada em formas, materiais e mistura de cores projeta um manifesto de estilos particulares. Donatella Versace capta o tom rocker das ruas com mixagens do rap e do hip-hop. O metal cintila em correntes e taxas no denim e contrasta com transparências e saias rodadas que suavizam os looks com essência dos anos 90. A Prada de Miuccia ancora na arte de rua, no grito estético do grafite. Os murais de Miles 'El Mac' Gregor, Gabriel Specter e Stinkfish e as ilustrações de Jeanne Detallante e Pierre Mornet estabelecem a conexão do cenário com abordagens de feminilidade impressas na coleção de pegada esportiva nos detalhes. A ambientação plasma o espírito da multidão. Rostos maximizados caminham com vestidos e camisetas, adornados pelos sutiãs sobrepostos e meias tubo. O improvável acaba fazendo sentido. A atmosfera das ruas contamina pela ousadia.

 

Desfile Prada na Primavera/Verão 2014 de Milão