Moda

/Porque é tendência estar bem informado

Festa da “black music” na abertura do SPFW

A Cavalera marca o primeiro dia dos desfiles com performance musical regada pelo soul
| Por: Raquel Medeiros

Rolou a festa. Soul, hip-hop, rhythm and blues, break... No encerramento do primeiro dia de desfiles da temporada Verão 2014 do São Paulo Fashion Week a passarela foi pista de dança e os modelos, convidados de uma animada noite de black music promovida pela Cavalera. Dona de seu nariz, com os 18 anos que completa neste ano, a marca paulista surpreendeu com a apresentação performática inspirada no Soul Train (1971-2006), programa musical da televisão americana. A grife embarcou - com muito frescor - nas referências dos anos de 1970 sem cair na saturação do flower power, o slogan hippie da época. Poder? Muito. Das cores, do jeans em patchwork com retalhos de vários tons, das estampas gráficas em sedas, tricolines e sarjas, do brilho do lurex, dos tops de cetim em formato de coração e dos cabelos afro.

O desfile reproduziu o formato do show que inspirou a coleção assinada por Marcelo Sommer. No lugar do apresentador americano Don Cornelius, o comando do baile foi entregue à voz do cantor Tony Tornado. Os dançarinos entraram em duplas, ao som de Aretha Franklin, Jackson Five, James Brown e Tim Maia. Seguiram a coreografia de Nelson Triunfo - o pernambucano precursor do brake e do hip-hop no Brasil.  "Os Invertebrados" - nome do seu primeiro grupo de dança criado no início da década de 70 - poderia ser a definição perfeita para modelos e convidados como Wilson Simoninha que protagonizaram o espetáculo. Os movimentos da coreografia sensual e acrobática pedia fôlego e deixou o público quase sem ar.

Rompendo nesta edição com apresentações externas que já ocuparam as margens do Tietê,o  Museu do Ipiranga, o Minhocão, a Estação da Luz e o ferro velho da Mooca, a Cavalera foi memorável no prédio da Bienal. Trouxe moda urbana e alegre: camisetas, jeans flare, ternos sequinhos, camisas, leggings, pantalonas, saruel, macacões e vestidos longos. A estamparia grafitada e psicodélica não faz sombra aos coqueiros e nem assusta os insetos em versão descontraída. Nos pés, plataformas e sapatos brogue (bicolor e de cadarço, derivado do modelo Oxford). Tudo é muito funcional para assumir o verão em clima de festa. O desfile já deu o tom.

 

Embarque no "Soul Train", a inspiração da Cavalera