Moda

/Porque é tendência estar bem informado

Doces e travessuras!

Clima de Halloween e boas surpresas na moda invernal do SPFW
| Por: Raquel Medeiros

A moda que não surpreende e não é "travessa", não é moda. Afinal, é o diferente, o inusitado, o não visto - ainda - a base para que algo ganhe o status de moda para logo sair de cena e abrir caminho para o novo, de novo! A segunda noite dos desfiles invernais da 34ª edição do São Paulo Fashion Week, temporada 2013, foi marcada por gratas surpresas. Peraltices cheias de "malandragem" como a coleção masculina de João Pimenta que alçou às passarelas a figura dos malandros cariocas dos anos 30, carregados de bossa no traço dos icônicos bigodinhos incorporados à maquiagem. A música "Lenço no Bolso" , de Wilson Batista, deu o tom nostálgico da proposta. A alfaiataria nada convencional é a assinatura do estilista que desafia a silhueta de homens modernos.

À véspera do Dia das Bruxas, o clima sombrio suscitou a performance de feiticeiras elaboradas no make e no figurino de Lino Villaventura.  Vestidos do "além" - para definir o primor das peças longas confeccionadas em tecidos nobres - arrastaram a atenção do público até desparecerem nos bastidores. O impacto fez contraste com o minimalismo da Uma que optou pelos básicos que costuram o perfil da marca. Além do jeans, carro chefe da Colcci, o estilo college uniformizou a temporada: saias de prega e coturnos estabeleceram a composição equilibrada com as jaquetas bomber. O doce da festa com gosto de conto de fadas foi de Samuel Cirnansk. Ricamente bordados, os vestidos confeccionados em uma cartela de tons entre o pastel e o ocre pedem muito mais do que uma vassoura para sair por aí.