Moda

/Porque é tendência estar bem informado

Está claro que o jeans da estação é o délavé!

O jeans que vai "bater perna" no verão é o super lavado, quase branco, ideal para os dias de calor
| Por: Da Redação

Está "claríssimo" que o jeans que vai fazer e acontecer no verão é o délavé. O índigo super lavado, quase branco, com suaves manchas em azul tem a leveza e comodidade que se ajusta com perfeição aos dias quentes. As coleções que já estão chegando às prateleiras e araras das lojas poderiam ser o sonho de consumo da juventude de quarenta anos atrás, que perseguia o desejo de uma "velha" calça jeans desbotada que vestia no jeito de muito "batida" a ideia de liberdade ilimitada.

Protagonista das passarelas nacionais e internacionais, o jeans clareado através de processos químicos apresenta-se versátil em calças, shorts, bermudas, vestidos e camisas. A calça - peça pioneira e coringa do índigo - é democrática quando o assunto é modelagem, pronta para satisfazer gostos e estilos desde a amplidão das pantalonas à tradição das retas e aderência das skinnys que se exibem como uma segunda pele no corpo. Prático, um mesmo modelo pode ser casual ou sofisticado na escolha dos acessórios e composições com texturas, cores e estampas. 

O brim lavado que remete à informalidade encarou o corte e os detalhes da alfaiataria equilibrando as referências clássicas com o estilo despojado e casual. Muitas marcas brasileiras como TNG, 2nd Floor e Herchcovitch apostaram em modelagens masculinas bem urbanas onde blazers amplos e de ombros caídos compõem looks com bermudas e calças mais fluidas que não deixam dúvida que a palavra da temporada é o conforto.  Propostas que permitem combinações diversas com camisas lisas e estampadas, além das camisetas que não perdem o posto de eternas parceiras do "blue jeans" mesmo quando ele ousa ser quase branco. 

Liberdade é uma calça desbotada

Símbolo da juventude e modernidade, uniforme de rebeldia. Entre os anos 50 e 70 o jeans incorporava a noção de liberdade, de celebração à vida, de experimentação, de ir e vir a qualquer parte imprimindo uma identidade ideológica que rompia com as amarras dos códigos sociais vigentes. A roupa era uma linguagem transgressora e o denim era a palavra de ordem, emblemática e persuasiva nos corpos dos atores americanos Marlon Brando e James Dean.

A geração "blue jeans" não queria o convencional e as calças que ganhavam o rótulo de objeto de desejo eram as desbotadas. Quanto mais, melhor! Uma ideia que diferente de hoje, tinha uma longa estrada a percorrer para perder a rigidez, o vinco e a cor do novinho em folha. A onda era a calça que contava histórias à medida que clareava, mesmo que isso significasse esfregadas exaustivas com escovas que davam o ar casual de que já tinha "batido perna" em muitas festas, viagens, mobilizações e aventuras imemoráveis.  

Em 1976, uma propaganda da marca brasileira Us Top - jeans fabricado pela Alpagartas  que reivindicava parte do mercado dominado à época pelas calças importadas Lee e Levi's - traduziu o desejo libertário do denim desbotado e fez história na publicidade nacional. A propaganda dirigida ao público jovem que ansiava pela autonomia tolhida pelo "chumbo grosso" da ditadura tinha música de Sérgio Mineiro e Beto Ruschel e direção da agência DM9, do marqueteiro Duda Mendonça.  O sucesso foi estrondoso nesse refrão: 

"Liberdade é uma calça velha / Azul e desbotada / Que você pode usar / Do jeito que quiser / Não usa quem não quer / US Top / Desbota e perde o vinco / Denin Índigo Blue / US Top / Seu jeito de viver / Não usa quem não quer / US Top / Desbota e perde o vinco."

 

VÍDEO

Pegue o trem desse vídeo de 30 segundos que apesar de "desbotado" guarda as referências e desejos da época.