Moda

/Porque é tendência estar bem informado

Turbante: o exotismo sobe à cabeça

A peça de identidade étnica marcou presença nas passarelas de renomadas marcas da moda
| Por: Da Redação

O turbante é referência cultural na cabeça dos tuaregs, os nômades "abandonados pelos deuses" que desafiam as altas temperaturas do deserto do Saara. Integra, também, a composição do traje hindu independente das castas e estabelece uma identidade ancestral das tribos africanas com tipos de amarração, cores e estampas. No território iraniano - a antiga Pérsia - seu uso repousa no tradicionalismo religioso. Entre tantas alusões espalhadas pelo mundo, esse item étnico do vestuário subiu à cabeça nas passarelas de renomadas marcas de moda e ganha evidência de acessório exótico das "mil e uma noites" para os dias tórridos de verão.

A peça composta por uma faixa de tecido enrolada na cabeça atravessa o tempo para se fazer presente na moda atual como resposta ao multiculturalismo que dita as tendências. O acessório que chega às vitrines e ganha as ruas depois de incorporar desfiles nacionais e internacionais é uma versão mais enxuta do volume que o modelo original exibe. Lenços compridos e echarpes assumirão com muita desenvoltura o papel de criar um turbante moderno e leve..

Em propostas que cobrem parcialmente a cabeça ou na forma de faixa, os turbantes vão mesmo destacar a cabeleira. Além do mais, pode ser um truque prático e rápido para domar os fios nos dias em que teimam em não ficar no lugar. No Brasil, as marcas Neon, Fause Haten, Camila Klein e Adriana Degreas abusaram do acessório nos desfiles do Minas Trend Preview e São Paulo Fashion Week. As aparições só confirmaram a tendência que já vinha ditando moda na Europa.

Do Oriente à Corte Francesa e divas do cinema

Apesar da origem desconhecida, o turbante tem raízes no Oriente com registros anteriores ao século VII que abrigaria o berço do islamismo na Península Arábica.  A faixa de tecido cuja denominação deriva do persa dulband e do turco tülbent ganhou popularidade na França do início do século XVIII, com adornos de pedras preciosas e plumas. "O luxo voltou a ser acrescentado à roupa. Os cabelos passaram a ser encobertos com turbantes, principalmente depois das incursões napoleônicas no Egito, que contribuíram para a influência do orientalismo", enfatiza a pesquisadora e historiadora Camila Borges da Silva.

Mais de um século depois o acessório voltou à cena da moda na cabeça das divas do cinema americano no início dos anos 40. A atriz Greta Garbo e Carmem  Miranda protagonizaram o uso do turbante em suas interpretações e fora das telas. Na telinha da TV Globo - no ano de 1985 - ele fez história através da extravagante viúva Porcina, interpretada por Regina Duarte na novela Roque Santeiro (escrita por Dias Gomes e Aguinaldo Silva). Na atualidade, os mesmos looks irreverentes podem ser recordados na reapresentação disponibilizada pelo Canal Viva. Agora, o remake da novela O Astro (de Janete Clair) na Globo, destaca a peça usada pelo personagem do ator Rodrigo Lombardi - Herculano Quintanilha - numa quase "premonição" de que a tendência do acessório para o verão está bem amarrada.

 

VÍDEO

Siga os passos e amarre-se nas propostas dos turbantes!