Espelho Meu

/Você de bem com sua imagem

Mitos e verdades que você precisa saber a respeito do sabonete íntimo feminino

Descubra como o uso do sabonete íntimo pode representar conforto e segurança à intimidade da mulher
| Por: Redação
Foto: reprodução

Os cuidados com o corpo feminino se desdobram em especificidades e a higiene íntima requer atenção especial. Com características peculiares, a região genital da mulher precisa ficar livre de infecções, considerando que o interior da vagina é naturalmente habitado por micro-organismos que formam a flora vaginal e cuja função é defender e manter seu equilíbrio. Com menos ação detergente que os sabonetes tradicionais - além de composição umectante - os sabonetes íntimos podem auxiliar nessa tarefa natural proporcionando conforto e a sensação de frescor. A gerente de Desenvolvimento de Produtos da Natura, Andrea Costa, fala dos mitos e verdades sobre a utilização do produto.

 

O sabonete íntimo feminino é realmente necessário? Quando, como e por quê utilizá-lo?

Sim, o uso do sabonete íntimo é indicado, pois apresenta pH equilibrado com a região genital e é ginecologicamente testado. Isso traz uma sensação de limpeza e frescor. Ele pode ser usado diariamente e a higiene deve ser realizada aplicando o produto sobre a área genital externa, com movimentos circulares e suaves, sem esfregar. Em seguida, deve-se enxaguar com bastante água e secar suavemente com uma toalha limpa e seca. É importante ressaltar que o sabonete nunca deve ser aplicado na região interna (dentro da vagina), pois pode agredir a mucosa, levando a infecções e corrimentos.

O sabonete em barra não tem o mesmo resultado do sabonete íntimo? Por quê?

O sabonete em barra tem o pH alcalino, diferente da região íntima, que apresenta pH ácido. O uso de sabonete em barra pode agredir esta proteção naturalmente ácida, causando ressecamento e irritação.

É possível usá-lo diariamente ou existem restrições?

O sabonete íntimo é testado e recomendado para uso diário. Segundo a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), a recomendação de uso é de uma a três vezes ao dia em dias de clima quente e pelo menos uma vez ao dia no clima frio.

Pode ser utilizado também no período menstrual?

Não há restrições de uso do produto no período menstrual.

E após a depilação?

Sim, pode ser utilizado após a depilação.

É recomendável para crianças e adolescentes?

Não, o sabonete é indicado para uso adulto, pois corresponde ao público alvo avaliado nos testes.

O sabonete íntimo trata infecção vaginal?

O sabonete é indicado para realização da higiene e não tem qualquer ação medicamentosa. Se há qualquer suspeita de infecção, deve ser consultado um médico ginecologista.

Como escolher o melhor sabonete líquido feminino? Qual é a formulação indicada?

O sabonete íntimo deve ser ginecologicamente testado, o que significa que é seguro para uso na região genital. Além disso, deve ter pH equilibrado com a área íntima (ácido ou não alcalino).

Qual a diferença entre lenços íntimos femininos e lenços umedecidos normais?

Assim como o sabonete, os lenços são ginecologicamente testados e, por isso, apropriados para a higiene íntima feminina. Sua formulação também possui pH adequado para aplicação na área íntima. Por esses motivos, os lenços íntimos femininos diferem-se de lenços umedecidos comuns.

O lenço íntimo substitui o sabonete íntimo?

O lenço não é indicado com um substituo do sabonete, mas sim como um complemento, em situações em que não é possível o banho.

Quais são os melhores momentos para utilizar o lenço íntimo?

O lenço é indicado para os momentos em que a mulher sente a necessidade de fazer a higiene da área íntima durante o dia, normalmente fora de casa (no trabalho, academia, viagens, etc). É indicado também no período menstrual.

 

Foto: divulgação

 

Hábitos para cuidar melhor da saúde íntima  

  • Dar preferência às calcinhas de algodão, para favorecer a transpiração;
  • Evitar roupas justas e apertadas;
  • Dormir sem calcinha sempre que possível, para ventilar a área íntima;
  • Usar preferencialmente roupas de tecido natural (não sintéticas);
  • Lavar bem a roupa íntima, evitando deixar resíduos de produtos de limpeza nas peças. Secar em lugar arejado;
  • Não emprestar e nem usar calcinhas emprestadas;
  • Trocar a calcinha sempre que transpirar muito ou fazer ginástica;
  • No período menstrual, mesmo que o fluxo esteja discreto, trocar o absorvente a cada 4 horas para evitar a proliferação de bactérias e odor desagradável;
  • No verão, não ficar com biquíni molhado, para evitar infecção por fungos;
  • Depilar a área íntima com a menor frequência possível, sempre respeitando a sensibilidade de cada mulher;
  • Evitar papéis higiênicos coloridos e perfumados, pois trazem componentes que frequentemente causam alergias.