Espelho Meu

/Você de bem com sua imagem

Perfume: revele sua essência e personalidade

Persuasivo e sedutor o perfume traduz a identidade de quem usa. Encontre a sua nas novas fragrâncias que chegam ao mercado
| Por: Da Redação

Persuasão. Essa é a marca do bom perfume que em questão de segundos encontra passagem pelas narinas para logo instalar-se no sistema límbico, onde um conjunto de estruturas cerebrais responde primordialmente pelo controle das emoções. E mais que fixar-se à pele, o perfume instala-se também na memória sendo capaz de ressuscitar recordações e sentimentos relacionados aos aromas que impregnaram determinados momentos. Numa relação química bem sucedida, ele funciona como uma extensão da personalidade de quem usa, traduzindo referências e características bem íntimas.

Os tempos remotos abrigam o berço de uma história que não tem bem definida o início de quando os aromas passaram a desfrutar de importância na vida das civilizações. Mas, há relatos de uma relação de culto aos deuses, onde os homens - por meio da fumaça produzida pela queima de ervas - buscavam agradar e estreitar laços com as divindades que os protegiam. Desse culto através da fumaça (per fumum) nasce do latim a palavra perfume.

Desde então, são mais de três mil anos de uma existência envolvida em lendas e ritos. A origem não muito precisa da perfumaria tem a Índia e Arábia como território dos primeiros elixires e óleos essenciais obtidos de plantas e animais com finalidades cosméticas e terapêuticas. Surgiram desde então os primeiros mestres que elaboravam experimentos exaustivos para aprimorar a água de colônia extraída a partir de pétalas de rosas maceradas.  

Poder e encanto das fragrâncias

É no continente europeu que o perfume encontra o solo de sua difusão. Em pleno esplendor da Renascença - período de "renascimento" das letras e das artes iniciado na Itália do século XIV e que logo influencia toda Europa - a técnica de obtenção de aromas floresce como parte dos luxos sociais da época. É o começo do poder e encanto das fragrâncias florais e dos frascos produzidos para exercer fascínio e transformar o perfume em verdadeiro objeto de desejo.

Dentro desse ambiente, Paris torna-se referência mundial na produção de fragrâncias e exibe até os dias atuais a fama de dispor dos melhores aromas resultantes da arte da perfumaria. Tanta expressão nessa técnica de destilar aromas fez da França do século XVIII o cenário perfeito para o livro "O Perfume", do escritor alemão Patrick Sueskind. A obra mundialmente conhecida cita a cidade de Grasse, no sul do país, como o local em que todo perfumista precisa ir para aprender a dominar a arte dos aromas. 

Sueskind, através do personagem amoral Jean Baptiste Grenouille, demonstra como a habilidade desse homem sem "cheiro" é capaz de elaborar os mais exuberantes e sedutores perfumes. Fragrâncias baseadas no poder dos odores sobre a alma humana e extraídos, também, a partir dela. Uma obsessão olfativa que não recua diante do crime para preparar com a essência dos corpos das jovens donzelas um perfume literalmente irresistível, que permitisse conquistar e dominar qualquer ser humano.

O romance que baseia a narrativa em um realismo fantástico estabelece a relação de poder que o perfume exerce e como ele conecta-se à personalidade das pessoas. Mais que despertar o olfato estimula todos os sentidos e assume a condição de um tipo de linguagem que exterioriza gostos, desejos e as aspirações mais secretas. Na galeria de fotos que está no topo, mergulhe no requinte dos perfumes que acabam de chegar ao mercado e encontre a fragrância que fala por você.