Costurando Idéias

/A cultura de moda alinhavada com história, sustentabilidade e comportamento

Coisas de Frida Kahlo, coisas

| Por: Raquel Medeiros

As imagens são como um diário. Narram objetos impregnados de marcas, intimidades, identidade e rotinas. Os pertences de Frida Kahlo (1907-1954), capturados pelas lentes da fotógrafa japonesa Ishiuchi Miyako, mantêm vivos o visível e invisível inerentes à personalidade da pintora mexicana com larga influência no século 20. Os vidros de esmalte para unhas, o par de brincos, os trajes coloridos com manchas do tempo e cheiro de cigarro, o frasco de perfume, as botas de solas gastas, os espartilhos e correias que sustentavam a coluna fragilizada pelo acidente ainda na infância. Tudo parece recém tocado e usado pela mulher que expressou nas telas de cores vibrantes a vida pautada pela dor física e de amor.

O registro fotográfico nasce em 2013 a partir do acervo descoberto em 2004 (encerrado por mais de 50 anos) que compõe a exposição "As aparências enganam - Os vestidos de Frida Kahlo" (em cartaz no Museu Casa Azul", na Cidade do México). A mostra "Frida por Ishiuchi Miyako" está em exibição na galeria londrina Michael Hoppen até 12 de julho deste ano. A riqueza do trabalho ainda deu origem ao livro Frida por Ishiuchi e ao documentário "The Legacy of Frida Kahlo". O filme com direção de Tadasuke Kotani destaca os bastidores da fotógrafa na captura de uma Frida altiva e intrigante através de suas coisas diárias, aparentemente banais. Coisas tão importantes como suas cores. 

 

Serviço:  

Museu Frida Kahlo - Casa Azul - Cidade do México

Filme The Legacy of Frida Kahlo

Sobre Ishiuchi Miyako

Leia Matéria Relacionala: Os vestidos de Frida Kahlo