Costurando Idéias

/A cultura de moda alinhavada com história, sustentabilidade e comportamento

Amém para uma religião chamada futebol

| Por: Raquel Medeiros

O gol é a meta. O combustível que arranca a corrida de um lado a outro do campo. A palavra de três letras se engradece na monossilábica pronúncia de celebração esticada ao limite que os pulmões suportam, transformando a ortografia diminuta em eco vitorioso. Nos campos de várzea de países africanos como Gana e Moçambique, a paixão pelo futebol é a mesma enraizada no Brasil com status de identidade cultural. Um rito litúrgico desdobrado no ensaio fotográfico "Amen" pelas lentes da fotógrafa belga Jessica Hilltout. O trabalho apresentado há quatro anos com publicação homônima - durante efervescência da Copa do Mundo na África do Sul - segue exposto em galerias da Europa contagiando olhares com enquadramentos que sublimam a devoção pelo esporte.  

O magnetismo exercido pelas imagens reside na maneira como crianças e adolescentes driblam as adversidades para manter a alegria do futebol em suas vidas. Nos lugares mais longínquos da África, Jessica captura o futebol traduzido como riqueza. Em aldeias onde não chega a luz elétrica, água potável e políticas públicas efetivas nas áreas de habitação, saúde e educação há uma bola. A maioria delas artesanal, improvisadas com a criatividade capaz de reinventar sacos de arroz gastos, fibras naturais e farrapos no que é considerado o bem mais necessário. Nem sempre tão redondas para rolar livre e atravessar os paus tortos ou tambores empilhados que servem como traves. "Muitas pessoas têm tanto e fazem tão pouco. As pessoas que eu conheci tinham tão pouco e ainda conseguiam fazer muito com ele", disse Hilltout em entrevista ao New York Times.

Os torsos nus, os pés descalços, as mãos em ofertório com o objeto sagrado do jogo e o estado febril da comemoração transpiram emoção nas fotografias. Imagens de uma realidade tão intensa que quase é possível perceber nos personagens cristalizados pelas lentes movimentos que desenham os sorrisos escancarados nos rostos, as pernas elaborando a ginga do drible e os braços abertos à celebração. Nos olhos, o relato silencioso da satisfação. Em 2008, ao percorrer 10 países africanos para documentar como o futebol é mecanismo de união e sobrevivência em territórios esquecidos, Jéssica registra agradecimento. Sentimento dirigido à ela durante as abordagens fotográficas, quando presenteia verdadeiras bolas de futebol e recebe incontidos "Amém". A gratidão deu nome ao projeto.

 

Serviço:

Jessica Hilltout

Acesse o livro Amen