Costurando Idéias

/A cultura de moda alinhavada com história, sustentabilidade e comportamento

Os diamantes de Mademoiselle Chanel

A estilista francesa lapida em 1932 uma coleção que influencia o design da joalheria contemporânea
| Por: Raquel Medeiros

A roupa transgressora nas formas e novos materiais veste a atitude libertária, enquanto o primeiro perfume com substâncias sintéticas escreve um algarismo e o nome de Gabrielle Bonheur Chanel na história da moda. A ousadia perpassa o espírito provocativo que embala os anos 20 e cintila no ano de 1932 com o desenvolvimento de sua primeira coleção de joias que privilegia diamantes. A criatividade de Mademoiselle Chanel lapida olhares deslumbrados diante da exposição "Bijoux de Diamants" que enche o endereço de sua mansão localizada na Rue du Faubourg Saint-Honoré, em Paris, de reflexos suntuosos para assinalar um marco da joalheria contemporânea. 

Com o olhar além da primazia da pedra de carbono cristalizado, Chanel revisa os códigos dos engastes, define novos arranjos para um design simplificado sem perder a sofisticação e repensa a funcionalidade dos fechos. Idealiza a joia fluida como a roupa pontuada no princípio da tão sonhada liberdade de movimentos e atitudes. O resultado aparece em colares longos - alguns abertos descansando sobre o colo - colhidos na poesia e geometria das constelações que salpicam o céu parisiense. Peças femininas e sedutoras para uma coleção única.

Joias que deslizam como fitas

À rigidez do diamante propõe doçura, flexibilidade e languidez.  "Eu quero joias que deslizem nos dedos da mulher como fita", diz a estilista. Dentro desse simbolismo, aplica ao conjunto das criações cinco temas que traduzem uma essência revolucionária abastecida de memórias pessoais: os raios de sol, as estrelas, a fluidez da fita, a descontração da franja e a leveza das plumas. Representações que formatam acessórios de luxo capazes de aguçar a inquietação dos mais destacados joalheiros instalados na Place Vendôme, o coração da capital francesa.

A percepção refinada da Miss Diamants inaugura um conceito: criatividade em lugar de ostentação e leveza em oposição ao exagero. Atemporal e icônica a coleção ganha em 2012 (em virtude dos 80 anos completados) o status de exposição no Museu de Arte Moderna de Nova York. Agora, as joias vistas em desfiles privados da marca e nas fotos realizadas em 1932 - sobre bonecas de cera maquiadas e penteadas - são homenageadas no vídeo "Mademoiselle Chanel et le Diamant", ancorado na página oficial da grife. É o terceiro capítulo do projeto Inside Chanel. Mais uma etapa da história da designer que amava as pérolas e mudou a face dos diamantes.

 

1932: 29, Rue du Faubourg Saint-Honoré


1932, naissance de Chanel Joaillerie por VOGUEPARIS