À Moda da Casa

/ A moda com tempero paraibano

Grupo Parahyba expõe na Première Vision Paris

Pela sexta vez o coletivo de estilistas e designers participa do maior evento da indústria da moda
| Por: Redação

O grupo Parahyba de design têxtil e criação de moda participa da Première Vision Paris. O maior evento da moda global acontece entre os dias 15 e 17 de setembro no Parc d'Expositions Paris Nord Villepinte. Tecidos e fios de algodão colorido orgânico, peças de vestuário, acessórios e estampas representam a produção do coletivo que assinala a sexta participação na feira. Alex Brito, Alena Sá, Camila Demori, Célia Araújo, Dyógenes Chaves, Francisca Vieira, Paula Tabosa, Romero Sousa e Thamires Pontes levam na bagagem produtos com DNA paraibano que serão exibidos aos olhos de compradores e designers das mais renomadas grifes do mundo.

Centro de negócios essenciais à elaboração das novas coleções para a indústria da moda, a Première Vision Paris aglutina 62 mil profissionais do segmento oriundos de mais de 120 países. O artista visual e designer Dyógenes Chaves integra estes números e comemora a ampliação do estande do grupo que tem a estamparia como carro-chefe, mas que expande o leque de produtos nesta edição. "São 300 estampas, entre elas, 120 inéditas, mas desta vez, temos também vestuário, tecidos e fios genuinamente paraibanos e material promocional para uma melhor divulgação dos nossos produtos".  Para ele, a extensão do espaço reforça que as criações do grupo Parahyba têm como marca a diversidade de tendências, linguagens e estilos.  

Na capital francesa, o mix de produtos da Natural Cotton Color promete surpreender. A estilista Francisca Vieira vai lançar novos tecidos de algodão colorido orgânico como moletom cardado, moletom felpado e canelado. "Vamos apresentar também algumas técnicas artesanais como capitonê sobre tecido e macramê produzido com fios de algodão colorido orgânico", revela. Francisca também expõe, pela primeira vez, impressão digital sobre malha de algodão colorido orgânico. A novidade é que os padrões das estampas são baseados na renda renascença e nas tramas do macramê, técnicas feitas à mão sempre presentes nas roupas femininas que ela desenha e produz.

Para Romero Sousa, cada participação na feira é um acréscimo à trajetória como designer. "É importante interagir com o mercado para melhorar a oferta de produtos, por isso, a cada edição, a gente tenta se superar", afirma. Apostando fichas na inovação, além da criação de estampas ele leva à Première Vision Paris uma coleção de camisetas masculinas em algodão colorido orgânico. As peças exibem reproduções de inscrições rupestres de sítios arqueológicos da Paraíba. A impressão artesanal em silkscreen utiliza tinta elaborada à base de ingredientes vegetais. "É muito importante aumentar a carteira de clientes, principalmente para a linha ecológica. Temos boas expectativas com a coleção 'Organic Rupestre'", evidencia.

O grupo Parahyba está entre os 200 estúdios internacionais que marcam presença na feira. Incorpora a delegação nacional selecionada pelo Texbrasil - Programa de Internacionalização da Indústria da Moda Brasileira criado pela Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecção) em parceria com Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos). A participação em edições anteriores da Première Vision Paris, São Paulo e Nova York referencia a produção de design têxtil atrelada à identidade e inovação.

Sobre a Première Vision Paris

Principal referência internacional de Moda, a Première Vision realiza edições em Paris, Nova York, São Paulo, Xangai e Istambul. Na capital francesa a feira acontece duas vezes por ano e durante três dias abriga os principais fornecedores de materiais e serviços voltados à indústria da moda global. Inspiração é a palavra que pauta a exposição por reunir em um só lugar fabricantes de fios, tecidos, fibras, couro, acessórios, estúdios de design e bureau de tendências. A edição neste mês de setembro está dirigida às coleções do Outono/Inverno 2016-2017. 

Sobre os Designers

Dyógenes Chaves é artista plástico, designer, curador e crítico de arte (ABCA/AICA). Estudou na École Supérieure des Beaux-Arts Luminy (Marselha, 1997-98). Professor do curso de Design de Moda (UNIPÊ) e de Produção em Moda (Funetec/PB).

Francisca Vieira, empresária e estilista da Natural Cotton Color. Graduada em Psicologia Industrial (UFPB, 1995) e Mestrado em Engenharia de Produção (UFPB). É presidente da Associação das Indústrias do Vestuário da Paraíba (IVEST).

Romero Sousa é designer e professor de cenário e figurino. Graduado em Artes com Especialização em Estilismo e Modelismo em Artefatos de Couro e em Psicopedagogia. É coordenador da Estação da Moda (CVT) da Prefeitura de João Pessoa-PB.

Célia Araújo é artista visual e designer. Tem Bacharelado em Educação Artística (UFPB, 1996) e cursos livres em Pintura e Desenho no CAVT (João Pessoa/PB, 1994-2000). Desde 1996 participa de exposições de artes visuais.

Camila Demori é designer de interiores. Atua na área de acessórios de Moda criando e produzindo Ecojoias.  

Alex de Brito e Paula Tabosa são estudantes do curso de Design de Produto na Universidade Federal da Paraíba - Campus Rio Tinto.

Thamires Pontes é designer de moda pela Funetec. Atualmente trabalha em São Paulo.

Alena Sá é artista plástica e designer de moda pela Unipê. Dá aulas sobre cor em cursos de moda. Autora do livro COR, em que traduz seus conhecimentos em mais de dez anos de pesquisa.