À Moda da Casa

/ A moda com tempero paraibano

Inpi certifica algodão colorido da Paraíba

O selo de Indicação Geográfica vai agregar valor de mercado e atestar a qualidade dos produtos
| Por: Da Redação

O algodão colorido da Paraíba agora tem certificação de origem deferida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial - Inpi. A emissão do certificado de Indicação Geográfica faz do algodão - que já nasce colorido - um produto com valor agregado para o empresário, além de transmitir segurança e qualidade ao consumidor que adquire peças têxteis confeccionadas com essa matéria-prima.

A justificativa para o reconhecimento do nome Paraíba como produtor do algodão colorido reside no diferencial tecnológico. Fruto de pesquisas iniciadas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa ainda nos anos de 1980, as plumas colhidas com cor resultam de melhoramento genético. A produção atende aos padrões de qualidade exigidos no mercado, onde é totalmente isenta de agroquímicos que concorrem para um produto final livre de contaminação. Além disso, mantém solos, cursos de água e lençóis freáticos protegidos de interferências tóxicas.

Ecológico, de característica antialérgica e toque mais suave, o algodão natural apresenta um leque de tons terrosos que partem do creme à cor de nozes, variando entre uma coloração que remete à sálvia, abacate, ferrugem e malva. As cores ainda dependem do solo em que foi plantado e das condições climáticas enfrentadas. A mistura das pigmentações com a cor branca possibilita multiplicar as tonalidades.

O plantio caracterizado pela agricultura familiar está concentrado no alto sertão paraibano e regiões circunvizinhas. A colheita manual e a produtividade em menor escala - comparada ao algodão convencional - legitima um produto socialmente justo, onde o pequeno produtor tem remuneração com valor acima do mercado.  As pesquisas de melhoramento genético tornaram o algodão colorido resistente às pragas que no início da década de 80 arrasaram a produção algodoeira do Estado.